14 de dez de 2016

DIY • Pote de Doçes

| 12 notas

Horay! Aparecendo aqui do nada né, porque a verdade é que sou um ser preguiçoso que não é capaz de manter um blog atualizado. Falei que ia postar esporadicamente E NEM EU ISSO FIZ. Eu sei, vergonhoso, me desculpem. Mas surgiu aquela inspiração e eu resolvi brincar e acabou saindo isso aí ('u' heuheueheu). Eu não tinha muitos doces pra foto, infelizmente t.t, mas dá pra ter uma ideia legal. Então, vamos ao tutorial!

Materiais: Pote de conserva; Tintas nas cores rosa, preta e branca; Pincéis e esponja; Verniz acrílico fosco; Fita de cetim rosa.

Passo a passo:
1: Retire a tampa e pinte-a de rosa, passando primeiro uma camada de branco como base;
2: Aplique um pouco de tinta branca na esponja e dê batidinha leves na tampa, para criar textura;
3: Com a tinta branca, escreva a palavra de sua preferência e use a tinta preta pra dar profundidade;
4: Passe o verniz na tampa, espere secar, coloque-a no pote e amarre um pedaço da fita no topo do mesmo, dando um laço para finalizar.

 Eu também fiz um "cofre" seguindo quase os mesmo passos, só mudei as tintas e ao invés de usar a fita colei essa cordinha (não lembro o nome exato) em volta da própria tampa. Vocês também podem usar outras cores se quiserem, ou fazer galaxy como ensinei aqui. Bom, é isso! haha... Talvez eu apareça um pouco mais aqui já que tive tempo suficiente para ficar entediada com essas férias. E vocês, como estão? :)

3 de out de 2016

Playlist: I Like That

| 2 notas
Annyeonghaseyo ^o^ como vão vocês? Eu tenho estado numa depressão básica, como sempre, por causa dessas provas estupidas. Sério, que foi o animal que inventou questões de múltipla escolha? Essa é a coisa mais injusta que existe... Mas fazer o quê não é? Até o vestibular é assim, então o jeito é sofrer e sofrer até saber lidar. Para ajudar, já mês que vem teremos feira de ciências e eu já quero cavar um buraco e me enfiar lá dentro desde agora. O projeto do meu grupo até que é bem legal, mas eu queria ter mais uns 3 meses para me dedicar. A propósito, se puderem curtir a página Consumo Consciente estariam me ajudando muito mesmo!

Okay, eu sei que kpop não é novidade para ninguém nesse mundo de blogueiras e blogueiros, maaasss eu gostei tanto da organização dessa playlist que precisei compartilhar haha. Especialmente essa primeira música, MEUS DEUSES, não consigo parar de escutar. "The eye","Adore U" e "Solo Day" eu ouvi mais recentemente mas também já estão anexadas no meu coração. E por favor, sem preconceito com o Boyfriend, eles são especiais para mim (heheuheu). As outras nem preciso falar né?


18 de set de 2016

Você precisa conhecer: Hotarubi no Mori e

| 1 nota

Konbanwa minna-san! Ohayou para quem está vendo isso de manhã e Konnichiwa para quem está vendo de tarde, mas eu comecei a escrever isso exatamente às 23:47 (acabei de terminar às 2:25 haha). O cumprimento de hoje foi feito especialmente por ser a primeira resenha de um anime, mas eu também sempre tive vontade de falar (hehe). Como estão vocês? Não estão pulando nenhuma refeição não é? Embora eu vá falar de animação japonesa, agora pouco eu estava jogando Mystic Messenger (que é coreano) e essa é a pergunta que eles mais fazem! Isso substitui o "tudo bem com você?", eu acho até melhor. Enfim, voltando ao assunto, este é na verdade um filme, mas não muito grande, bem curto se for pensar bem:
Título: Hotarubi no Mori e
Gênero: Drama, Romance, Shoujo, Supernatural
Duração: 45 min
Disponível em: Amazon

Sinopse: Intrigado com o conto de um deus da montanha, Hotaru Takegawa, de seis anos de idade, perde seu caminho na floresta antiga, enquanto visitava seu tio. Exausta e desesperada por ajuda, Hotaru encontra um espírito da floresta mascarado chamado Gin. Ela aprende da maneira mais difícil que ela não deve tocar o menino, ou ele iria desaparecer. Gin leva Hotaru para fora da floresta e avisa a ela para nunca mais voltar, mas ela promete vir de novo com um presente.

Sem prestar atenção às suas palavras de advertência, e apesar de ser separada dele por distância e planos de existência, Hotaru torna-se grande amiga de Gin e o visita a cada verão. No entanto este relacionamento é posto a prova quando os sentimentos românticos entram conflito com a única regra de convivência entre eles.
Hotarubi no Mori e foi lançado 2011 é baseado no mangá de Yuki Midorikawa que possui o mesmo nome. O filme nos conta sobre uma amizade entre dois seres que jamais deveriam ter seus caminhos cruzados, mas acabam tendo uma forte ligação: um youkai e uma humana. Em uma das suas visitas a casa de seu avô, Hotaru, ainda pequena, acaba se perdendo na floresta e só consegue encontrar a saída com a ajuda de Gin. Gin já foi uma pessoa comum, mas se tornou um espirito cuja a existência limita-se ao toque de um humano. Mesmo assim, os dois tornam-se amigos graças a insistência de Hotaru, a única pessoa que foi capaz de não esquecer sobre um youkai.


O filme é leve e bonito, a palavra "puro" também o descreve muito bem. Aliás, se você é do tipo que se emociona fácil é melhor manter um pacote de lencinhos de papel perto de você, porque essa animação vai arrasar seus feelings (haha). Gin, o garoto de cabelo branco da foto acima, possui um passado difícil, mas mantem sua curiosidade sobre o mundo e esperança nos humanos. Embora não expresse muito, é perceptível a felicidade que ele sente pelo carinho que Hotaru tem por ele. Ela por sua vez sempre foi muito emotiva, e, desde a primeira vez que o viu, demostrava isso.

É mostrado como eles se tornam tão próximos com o passar dos anos, além de como a vida de Hotaru é influenciada por Gin, assim como os seus sentimentos mais profundos começam a florescer ao entrar na adolescência. Infelizmente este é um relacionamento impossível e ambos entendem isso, procurando ao menos aproveitar da melhor forma a companhia um do outro.

São 45 minutos, só 45 minutos, mas esses 45 minutos foram suficientes para que eu me apegasse a história e aos personagens. Não tenho como explicar o que eu senti com esse anime sem dar um grandioso spoiler, mas talvez esteja tudo bem eu falar que embora algo desapareça, não quer dizer que será esquecido. E bem, se esse conto tem uma moral, deve ser essa... Espero que tenha conseguido despertar o interesse de vocês.
RL